Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Eleven - o que significa uma estrela Michelin ?

Eleven, nome carismático dum restaurante criado por 11 amigos que tem como um dos grandes trunfos o Chef Joachim Koerper (proprietário do Restaurante Girasol - Alicante - que ostenta duas estrelas Michelin), tendo o próprio Eleven uma estrela Michelin atribuida em finais de 2005.
Ora, nada melhor para celebrar o dia de S.Valentim que um jantar a dois no restaurante que ambiciona ser, simplesmente, o melhor de Portugal, tanto na oferta gastronómica como na qualidade de serviço.

Começo pela reserva, feita por meio electrónico e confirmada amávelmente pela RP do restaurante no dia seguinte. Jantar para duas pessoas no Dia 14 Fevereiro às 21.00.

Pontualmente, chegamos e logo nos ofereceram um espumante Cava Rose feito exclusivamente para o Eleven. Suave e doce q.b para nos permitir 10 min de conversa até nos acompanharem à mesa e começarem a servir o menu de degustação especialmente elaborado para este dia especial. Apresentou-se o escanção (ou neste caso o responsável pelos vinhos, visto que o Escanção não estava presente !!!) com uma carta, como hei-de dizer, algo diferente do normal. Dois pacotes de vinho a copo (branco, tinto e espumante) e cerca de 10 vinhos brancos e 10 vinhos tintos. De entre os tintos apenas 3 aparentemente mostravam-se ao nível do restaurante para acompanhar a comida - Pedro e Inês 2003 (40,00€), Pape 2003 (60€) e Pião (165,00€). Primeira nota - todos são vinhos do Dão, zona com caracteristicas muito próprias, bastante interessantes numa prova mas algo agressivo para um jantar a dois. Pedi aconselhamento ao escanção de serviço entre o “Pedro e Inês” e o “Pape” visto nunca ter provado nenhum dos dois. Resposta pronta: Pape. Lógico, é o mais caro logo há-de ser melhor. Não quis saber que género de vinho eu pretendia, se agressivo, se suave, etc. Segui o conselho dele e pedi um Pape. Abriu a garrafa e serviu num copo genérico de vinho. Temperatura elevada (devia rondar os 21/22º), sabor extremamente agressivo, misto entre o cheiro caracterisitico do Dão com algum sabor a rolha(??). Provei novamente e pedi-lhe opinião visto que para mim o vinho não estava nas melhores condições. O escanção cheirou a rolha, provou o vinho, discutimos um pouco a tal agressividade e resolvemos abrir outra garrafa de Pape. O mesmo cheiro, o mesmo sabor.Será do vinho? Talvez. Na minha modesta opinião, não é um vinho para beber já (mais 2 ou 3 anos), ou então tem de estar decantado algum tempo. Se assim o é, porque é o vinho aconselhado para este jantar no melhor restaurante de Portugal ? Não haverá alternativas ?

Um dos clientes ao nosso lado pediu a lista de vinhos normal, não a aconselhada pelo escanção para este evento. Tal é a supresa que vem um empregado dizer que tal não é possivel visto esta lista de vinhos ser a aconselhada. Imaginem o espanto da pessoa! Vem jantar a um restaurante conhecido também pela famosa carta de vinhos e não pode escolher outros senão entre aqueles 10 tintos (com excessiva incidência no Dão). Optou pelo champanhe. Mais caricato ainda, imaginem que passado 15 min, chegam 6 pessoas para uma mesa redonda e é-lhes permitido acesso à outra lista de vinhos, á tal famosa que pelos vistos é só para alguns. PURA DISCRIMINAÇÃO no melhor restaurante de Portugal. E com direito a copos como deve ser diferentes conforme o tipo de vinho. Devia ser por serem artistas da nossa praça e não um cidadão comum como eu ou o tal senhor na mesa do lado.

Bem, continuando com o Pape. Como a segunda garrafa também não me satisfazia (chamem-lhe Dão, chamem-lhe rolha ou chamem-me madeira a mais) pedi o Pedro e Inês. Mais outro Dão (sem opções de escolha visto não ser artista para ter acesso à lista de vinhos), não tão complexo nem encorpado como o Pape, mas com um gosto mais fácil para acompanhar uma refeição com vários pratos. A mesma temperatura a mais do que o vinho exigia e o mesmo copo genérico de vinho. A comida, irrepreensível. Aqui sim, nota-se um cuidado extremo. Maravilhosa. Sete ou oito pratos de quantidades infímas mas cozinhadas com o maior cuidado possível.

Outra nota negativa (esta deve valer por dois) – o serviço. Começamos a jantar às 21.00 e acabámos à 1.00 am. Porquê? 20 minutos de espera entre cada prato. De perder a paciência. Total descoordenação entre os empregados. Poucos na minha opinião – 2 ou 3 empregados para uma 15 mesas. Trocavam a ordem aos pratos. Todas as mesas reclamavam devido ao excesso de tempo de espera de cada prato.

Serviço de Vinhos. Mais uma nota negativa. Estive duas a três vezes mais de 15 min a meio da refeição com o copo VAZIO. Não se via viva alma. Chegou ao ponto de irem levantar o prato e não reparavam no copo vazio. Depois vieram colocar mais pão e também não repararam. Enfim, um serviço de vinhos que deixa muito a desejar.

No fim da refeição servem-nos mil folhas de chocolate com molho de maracuja e gelado de morango. Muito bom. Melhor ainda se acompanhado por um belo Vintage.
Perguntei ao empregado por um Porto para acompanhar a sobremesa e passado 5 min aparece-me outro empregado(este com cara de entendedor de vinhos) que me informa que na sala de baixo acabaram de abrir um Niepoort Vintage 1997.
Pensei eu, ora aqui está um famoso Vintage que nunca provei.
Mandei vir dois. Potentíssimo. Algo alcoólico no cheiro e sabor inicial, mas bastante consistente, complexo. Do melhor que já bebi. Bastante diferente dos Vintage Noval 2003 e Noval Nacional 2003 que tinhamos provado 4 dias antes.
Exagerado no preço?? 20€ o copo. Compreensível para o vinho em questão.

Concluindo, um restaurante com bastantes pontos a melhorar, ou apenas um dia mau ?

19 comentário(s):

rui disse...

Devias ter pedido para falar com o gerente ou alguém com responsabilidade. Eu no tasco da esquina fui mais bem servido. O vinho tb estava quente e a escolha tb era miserável mas mandei vir um balde com gelo e a meio da refeição ficou no ponto (de temperatura é claro, pq a qualidade da uva não melhora com um balde gelo).

Se tivesses pedido o livro de reclamações logo vias a carta de vinhos normal aparecer na tua frente (quase parecia magia).

Nuno disse...

Reclamar de forma mais veemente era estragar o momento.

É inadmissível que restaurantes de topo, com preços a condizer, falhem nalgum dos seguintes eixos:
- qualidade do serviço
- qualidade e variedade das ementas
- carta dos vinhos/outas bebidas


Outra coisa que também não se compreende (embora aqui a subjectividade seja maior), é a decisão dos vinhos. Num momento especial, em que seria mais aconselhável vinhos elegantes e frutados, apresentam-se antes vinhos mais austeros e pujantes...

Se calhar o escanção estava com uma crise amorosa...

Paulo Pacheco disse...

e.... pagaste pelas Pape???
(que droga de vinho)

Cristo disse...

É incrível como é que existem restaurantes ditos de "topo" e pecam tanto em sê-lo.

Os culpados somos nós os consumidores.

Se, quando nos apresentam vinhos caros sem nos proporcionarem as condições ideais para os consumir, recusarmos beber o vinho e pedirmos uma cerveja, ou uma água, ou nos levantarmos da mesa para ir ao outro restaurante do lado, talvez aí comecem a pensar em mudar de atitude.

Mas infelizmente existe muitas pessoas que alimentam este tipo de ambiente e que até são capazes de pedir para chambrear e decantar o vinho (que já está a 22ºC) e o escanção é capaz de por o decanter a ferver e despejar para lá o vinho (para o cozer!). Tudo isto numa de tentar impressionar a namorada ...

Em relação ao PAPE, ouvi dizer que existem 2 variedades. O que vai às provas ganhar prémios, e o outro! Tenho a impressão que provaste "o outro", e muito provavelmente queriam era despachá-lo a bom preço!

João disse...

claro que não paguei nenhum PAPE.

Aí não me posso queixar.O empregado trocou as garrafas sem sequer questionar nem olhar de lado como fazem em muitos restaurantes.

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Caro João

Estive lá a jantar na 2ª Feira, e não sei se era por não ter muita gente (cerca de 10 mesas) mas tive uma das melhores refeições da minha vida. Serviço muitissimo bom, copos excelentes e mudando com o tipo de vinho, temperaturas correctas, acesso totalmente livre á magnifica carta de vinhos, e as explicações e aconselhamento do Jorge Bita na escolha dos vinhos para os pratos escolhidos.
Que diferença,para a sua experiência, daí a razão de eu não gostar de ir nos chamados dias de enchentes.

JTMB

Carla disse...

Não considero o Eleven o melhor restaurante de Portugal e nem levo a sério as estrelas da Michelin. Já assisti a tanta injustiça! Estrelas mal atribuídas e estrelas por atribuir...

Rui Sousa disse...

Então, mas vocês comem e calam? Onde já se viu se eu ficava calado ao ver tratamentos diferenciados e com o mau serviço... nessas coisas é importante assumir uma postura que não a de baixar a cabeça. Vocês não sabem o efeito que produz um puxão de orelhas. SE calhar ainda saíam de lá com meio jantar pago...

Rui Sousa disse...

Ah, mais uma coisa. 14 de Fevereiro é dia dos namorados, quando geralmente so restuarntes desse tipo enchem pelas costuras e as pessoas não fazem milagres, não é? ;)

Anónimo disse...

Wonderful and informative web site.I used information from that site its great.
» »

eloi disse...

Curiosamente também estive no Eleven no dia dos namorados, e partilho da tua opinião em quase todos os pontos, embora realce os seguintes:

Eu fui mais modesto na minha escolha de vinho, escolhi o sugerido - Sexy 2004 - e apesar de ainda ser um iniciado nestas lides, foi uma agradável surpresa (embora servido a uma temperatura desadequada). Um vinho que ouso caracterizar numa só palavra: sedutor. Frutas pretas, especiarias, razoavelmente complexo, enfim... um vinho honesto e com carácter e que vale bem o que custa (pouco mais de 7€, em garrafeira). Vim depois a conhecer o enólogo responsável pelo dito vinho (António Maçanita) e a conhecer um outro vinho da sua responsabilidade: Preta, que já milita num outro patamar (cerca de 26€ euros, em garrafeira), mas que possui também já outros argumentos.

Voltando ao restaurante...

Relativamente à comida, confirmo as doses ínfimas e a variedade de paladares que o menu especialmente criado para aquele dia oferecia. No entanto, achei extremamente desagradável a demora entre pratos. Tive no entanto mais sorte que o João, pois como tinha reserva para as 20.30h, o restaurante estava praticamente vazio e a refeição alongou-se apenas(!) até às 23.30h!

Também reparei na mesa VIP e no alarido que provocou a sua chegada -nomeadamente no corrupio de empregados. Lamentável a dualidade de critérios, e inaceitável num restaurante que se coloca na categoria dos melhores. Bem... se formos a ver bem, é inaceitável em QUALQUER restaurante! :)

Abraço,
eloi

Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. » »

Rodrigo Anciães Ferreira disse...

Sexy2004 é um vinho excelente e que recomendo vivamente. Muito equilibrado no preço oferece uma bela surpresa a quem o prova. E que mais se pode pedir?
Experimentei-o no Coffee&Pot de Alcântara. Não têm outro vinho. Opção interessante...

Norberto Moutinho disse...

Prezados amigos.

Faltam muitas viagens gastronomicas aos proprietarios dos restaurantes de Portugal.

"Para ser bom, precisamos observar os melhores..."

Não se admite um restaurante que cobra 60 euros por um vinho, não ter uma adega climatizada (perdoem-me se estou errado...) !!!

Como se pode imaginar num país produtorde vinhos do velho mundo com tanto prestigio no estrangeiro, na nossa casa (Portugal) sermos tão imcompententes? Eles querem ganhar o maximo dinheiro dos clientes, mas talvez não queiram que os seus funcinarios façam cursos de escanção.
Trabalho no Brasil, como sommelier. Aqui, as importadoras de vinhos e nossos patrões pagam viagens aos paises produtores de vinho de todo o mundo, para o funcionario adquirir conhecimentos, para que se forme um profissional e atenda com excelencia os clientes exigentes e com recurso financeiro para tomar os melhores vinhos do mundo.
Nós, portugueses, que estamos ai ao lado das melhores regiões do mundo, na sua maioria não sabemos sequer os nomes das castas ou regiões de Portugal.
Falta muita viagem a esses senhores.
Abraços a todos, estou pelo brasil a divulgar os vinhos de Portugal. vejam em www.mistral.com.br e www.abs-sp.com.br como aqui trabalham o mercado do vinho.

Norberto Moutinho

Anónimo disse...

fazes-me falta...

Anónimo disse...

Quero-te Katia!

Anónimo disse...

Eu tenho certeza que esta historia de estrela para restaurante é puro marketing pois ha bons restaurantes caseiros com qualidade perfeita de comida e atendimento.

Anónimo disse...

O melhor restaurante que estive é o vila velha em São bras de alportel. Uma delicia. Não tem estrelas michelin, mas posso dizer que foi como se as estrelas tivessem descido do céu. Quem diria que numa terrinha daquelas existe um rest tão espectacular. Vão ao site. www.vila-velha.com. espectacular

Bruno Mateus disse...

Não posso deixar de recomendar o restaurante "The Ocean". É um pouco desconhecido, pois está dentro de um hotel (Vila Vita Parc).

Parece ser um pouco caro (fui como convidado, não paguei a refeição), mas foi simplesmente a experiência gastronómica mais fantástica que tive. Fiquei contente quando soube que também ganharam uma estrela michelin.

Não têm site, mas podem saber mais em www.vilavitaparc.com.

Template original desenhado por Dzelque Blogger Templates