Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Vinho do Porto e Data de Engarrafamento

Este mês (Jan/06) a Revista de Vinhos (RV) traz em painel de prova o “Porto Ruby Reserva”. No preâmbulo que acompanha as notas de prova dos vinhos provados (passe a redundância) o autor do texto tenta-nos explicar o que significa a categoria Porto Ruby Reserva; como o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) define esta categoria, como esta definição já esteve bem pior e como agora já está melhor. Uma salgalhada , é que é! Li e voltei a ler. Esqueci. Percebi que faz parte do “ser português” esta confusão permanente, e se há coisa que eu gosto é de ser português. Adiante.

O que motiva este post são as categorias do vinho do Porto que não têm data de colheita.. Para quem acompanha com regularidade as notas de prova dos vários críticos da nossa praça (incluindo RV) já observou com certeza que os vinhos do Porto sem data de colheita (por exemplo, os tawnies com indicação de idade média, 10, 20, 30 e 40 anos) não são tratados com o devido respeito. Sofrem particularmente de dois males:
1. As notas não são actualizadas (alguns críticos dizem que não o fazem porque são vinhos que não têm grande alteração ao longo dos anos);
2. Os vinhos quando provados não referem a data de engarrafamento.

Ora bem, é esta segunda enfermidade que eu venho apelar à Revista de Vinhos que a resolva. E porquê? Sendo um tipo de vinho do qual continuamente sai vários lotes para o mercado nem sempre sai igual (como todos já tivemos a infelicidade de experimentar) e por vezes as notas de prova são extremamente enganadoras. Chega-se ao supermercado ou garrafeira e não se sabe se o vinho exposto é o que levou nota 18 ou nota 15, logo não se compra.

Se por ventura, alguém da Revista dos Vinhos chegar a ler este post, por favor acrescente a data de engarrafamento do vinho provado. Não custa nada e considero que era um enorme favor que nos fazia, a nós leitores, consumidores e chatos pedintes.

1 comentário(s):

ricardo disse...

Confesso que quando li o artigo fiquei a pensar: "aaaaaaaaaahhhhhhhhh agora sim percebi as designações, ou não".

Além da confusão em que continuam as designações, fiquei com a ideia que vai surgir mais uma que ainda não existia: nos vintage, já tinhamos vintage, late bottled vintage e agora ainda vamos ter o vintage character. Vai haver muita gente enganada... as melhores uvas vão para o vintage, as segundas melhores para os lbv, as terceiras para os character, mais os reserva, mais os tawny envelhecidos, mais os tawny normais, mais um pouco e começamos a ter uma categoria para as uvas do Pega Rija.

Template original desenhado por Dzelque Blogger Templates