Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!

sábado, novembro 17, 2007

Wine Spectator: Top 10 Editors Pick 2007

editado: classificação final

A famosa Wine Spectator iniciou o processo de escolha do seu top 10 do ano de 2007. Esta escolha não é muito simples de interpretar uma vez que não está directamente relacionado com a pontuação dos vinhos, esta lista é a lista dos vinhos mais exitantes do ano, o que quer que isso seja.

Podem ver o decorrer da divulgação aqui até ao dia 16 de Novembro. Para já estas são as posições já divulgadas:
10 - França - Champanhe - Krug Brut Champagne 1996 (99 pontos)
9 - EUA - Califórnia - Robert Mondavi Cabernet Sauvignon Napa Valley Reserve 2004 (95 pontos)
8 - Austrália - Mclaren Vale - Mollydooker Shiraz 2006 (95 pontos)
7 - Itália - Bolgheri Superiore - Tenuta dell'Ornellaia 2004 (97 pontos)
6 - França - St. Julien - Château Léoville Las Cases 2004 (95 pontos)
5 - Austrália - Barossa Valley - Two Hands Shiraz 2005 (95 pontos)
4 - Itália - Toscana - Antinori Tignanello 2004 (95 pontos)
3 - França - Châteauneuf-du-Pape - Le Vieux Donjon 2005 (95 pontos)
2 - EUA - California - Ridge Chardonnay 2005 (95 pontos)
1 - França - Châteauneuf-du-Pape - Clos des Papes 2005 (98 pontos)

6 comentário(s):

flashhhmoments disse...

como sempre o vinho portugues foi naturalmente esquecido...
tambem será natural que tenhamos 2 ou 3 vinhos no top 100, mas andamos a décadas a ser excluidos dos lugares de destaque. o excepcao mesmo so com o nosso vintage 1994 fonseca e taylors.
ja provei o krug vintage 1996 e na realidade é um disciplio de respeito do clos du mesnil do mesmo ano .em relação aos outros vinhos seleccionados uma referência para o vencedor Paul Avril de clos des papes, uma pessoa simples que esta na linha da frente a atender os clientes e a impressionar pela humildade, tenho os vinhos 2003 e 2004 e ja impressionavam.
talvez tenhamos o quinta do castro vinha maria teresa 2005 ou até um redoma reserva branco 2005 no top100 , esperemos para ver .
cumprimentos Nelson Pena

ricardo disse...

Caro Nelson,

É, de facto, comum os nossos vinhos não constarem nestas listas, é pena, mas estou convencido que estamos numa época de mudança e que os nossos vinhos vão paulatinamente ganhando o destaque que merecem. Por outro lado podemos ver o lado positivo, com menos destaque mais fica e mais barato o compramos.

Um abraço,
RR

ricardo disse...

O que nos dizem os números:
- 4 vinhos em 10 são franceses, incluindo o vencedor;
- o vinho mais caro é o Champanhe, 10º Classificado custa 250$;
- o vinho mais barato é o 2º classificado, o Ridge e custa 35$;
- o vinho com maior pontuação é o Champanhe, 10º Classificado, 99 pontos;
- em 10 vinhos 7 têm a pontuação de 95 pontos e é essa a nota mais baixa;
- o vinho com mais produção é o Antinori com 26.665 caixas produzidas;
- o vinho com menor produção é o Ridge com 2.000! caixas produzidas.

O que é que estes números vos dizem? Eu acho que há aqui algumas análises interessantes a fazer. Gostava de ouvir a vossa opinião.

RR

Copo de 3 disse...

Dizem que o Clos des Papes 2005 já vem a caminho com um preço a rondar os 65€, um preço que em Portugal começa a ser norma cada vez mais.

flashhhmoments disse...

boa observação
tamos fartos de ver os vinhos portugueses a acompanharem a inflação do país mas a esquecerem se das circunstancias actuais do panorama vinicola mundial.
Ou os nossos vinhos baixam o preço ou a produção portuguesa ficara mais saturada e mais stockada.
Em conversa com um amigo e uma pessoa muito respeitada no meio vinico nacional ficou me uma frase q me disse, nenhum vinho no mundo vale mais de 80 euros ( sendo ele que me arranja alguns dos melhores vinhos do mundo para o meu restaurante nao poderia ser mais desagradavel :D ) e defacto não poderia ser mais correcto ... será um vinha maria teresa com 3 ou 4 colheitas no historial capaz de justificar um preço de 100 ou 120 euros? sem termos nós conhecimento e historial sobre a qualidade de evolução em garrafa e valorizacao? nesse contexto submeto me a tendência natural de desacreditar os vinhos portugueses e acreditar que poderá se justificar muito mais dar 100 euros ou mais por um chateauneuf du pape ou um californiano. nesse mesmo dia fiquei a conhecer antecipadamente as classificacoes do confronto douro/duero que por exemplo colocou o quinta de roriz ficou em 2 lugar a frente de batuta 2005, vale meão 2005,chryseia 2005, numanthia 2005, auru 2001, vértice 2003 (sensacional) e até pintas 2005 (alvo de muitas criticas pelos desequilibrios que lhe valeu 88 pontos) e destronado apenas por vina sastre 2005 (96 pontos). as surpresas continuam mas só por cá e assim continuaram a revelar cada vez mais a realidade dos nossos vinhos

Copo de 3 disse...

Completamente de acordo...gosto de ler estas coisas pois por vezes fico a pensar que anda tudo ao contrário das ideias que tenho.

De facto vamos assistindo a uma certa clausura vínica em Portugal, não me interessa saber se em Espanha também o fazem ou se a atitude é igual nos outros países. O certo é que em Portugal andamos neste marasmo, o consumidor que gasta 80€ num Pêra Manca não quer saber dos Clos des Papes ou dos Pegau ou nem sequer de um Montrose. A culpa não é de quem tenta dar informações mas sim do próprio consumidor que ainda pensa que temos os melhores vinhos do Mundo e talvez da Europa.

É a tal clausura que não permite ao consumidor que gasta 150€ num vinho Nacional quando na prateleira ao lado tem vinhos como Lafite, Gaja, Penfolds RWT, Vega Sicilia etc etc...
Talvez até olhe com desdem e desprezo para aqueles rótulos que na verdade dão segurança e credibilidade. Tal como foi dito confiamos nos tais vinhos porque tem todo um passado de sucessivas colheitas que nos permite ter a segurança que o vinho dentro de x tempo vai ser seguir determinado caminho.

Depois não podemos falar no consumidor que não conhece porque não pode, temos de falar no consumidor que não conhece porque não quer...

Template original desenhado por Dzelque Blogger Templates